A CTG Brasil iniciou, na semana passada, uma operação para transporte de uma peça de 170 toneladas da UHE Ilha Solteira até Araraquara (SP), onde será reformada. Uma das etapas deste transporte ocorreu no final da última semana. Assista ao vídeo.

Na oportunidade, o rotor de turbina francis foi retirado da UHE, passou sobre a barragem e seguiu pela Avenida Adriano Teruhiko Kishimoto e um trecho da Rodovia Feliciano Salles Cunha, a SP-310, até a rotatória do Auto Posto West, onde permaneceu durante o feriadão.

Em nota, a CTG Brasil informou que, “como parte das obras de modernização do complexo Ilha Solteira-Jupiá, o rotor da Unidade Geradora 3, da UHE Ilha Solteira, está sendo transportado da hidrelétrica para o município de Araraquara (SP), onde a peça passará por reforma”.

Rotor

O rotor de turbina francis pesa 148 toneladas, possui 12 pás, uma altura de 4 metros e 7,35 metros de diâmetro na base. Um rotor deste tipo gira em sentido horário a 85,7 rotações por minuto (rpm) fornecendo ao gerador 225.000 CV com 46 m.c.a

Modernização

A CTG Brasil realiza nas hidrelétricas Ilha Solteira e Jupiá o maior projeto de modernização de usinas do Brasil. Com investimento total de R$ 3 bilhões, as obras devem durar de oito a dez anos. Na primeira fase foram investidos R$ 300 milhões para modernizar duas unidades geradoras de cada usina. Na segunda fase, iniciada em maio e com previsão de conclusão para 2021, estão sendo investidos R$ 704 milhões na modernização de oito unidades geradoras, quatro de cada hidrelétrica.

Guarda Municipal

Atendendo a solicitação da CTG Brasil, a Guarda Municipal de Ilha Solteira realizou a escolta da carreta com o rotor da rotatória da UHE até a rotatória do Auto Posto West, juntamente com a equipe do Setor de Trânsito e a empresa privada de transportes, em trecho de aproximadamente seis quilômetros. Nesta semana, o rotor segue viagem até Araraquara sob escolta da Polícia Rodoviária.

Recentemente, duas escoltas realizadas pela Guarda Municipal geraram polêmicas. A primeira, durante a greve dos caminhoneiros, quando a GM escoltou carretas com combustíveis para um posto da cidade. A segunda, quando escoltou uma carreata para apresentação de novos ônibus da frota da Reunidas, na qual a empresa usou de fogos de artifício com estampido, o que é proibido na cidade por lei municipal.

Fonte: h+